quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Je suis Charlie

Em meados dos anos oitenta, quando era adolescente, assinava com o meu nome próprio uma pequena banda desenhada para o jornal da escola. Essa BD era uma sátira aos nossos profs da área das ciências que nos ensinavam coisas muito interessantes mas eram um pouco lunáticos. A personagem principal era fisicamente muito parecida com o meu professor de física e química e de facto a BD era 80% inspirada na sua figura. Esta BD teve 3 fascículos e muito sucesso entre a malta da escola enquanto os meus profs não se mostraram afectados, continuaram a tratar-me a avaliar-me da mesma maneira que anteriormente e nunca fui chamada à atenção pelo meu trabalho.
Sem me aperceber estava a usufruir de um direito inegável em democracia: o direito à liberdade de expressão. Um direito que no mundo ocidental damos como certo e pelo qual temos de o preservar. 
Hoje o meu coração está de luto.