quarta-feira, 14 de junho de 2017

No news, bad news

Há cerca de duas semanas me debato com uma forte descompensação. Já fiz duas vezes análises ao lítio e ao valproato de sódio e os valores continuam muito, muito baixos. Quase que tripliquei a medicação mas só lentamente vai funcionando. Tanta medicação deixa-me prostrada e tem sido muito difícil trabalhar. Neste caso tem que ser um dia após o outro e esperar por dias melhores.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Insomnia family

Estava ao telefone com a minha mãe, pessoa que sofre muito com insónias, a queixar-me que só tinha dormido quatro horas na noite passada. Ao que ela me respondeu: Olha isso é bom pois a tua irmã foi bem pior, ela diz que não dormiu a noite toda.
Pronto, é isto...

segunda-feira, 29 de maio de 2017

IRS bipolar

Normalmente todas as Primaveras, na altura da entrega do IRS descompenso, enervo-me com tanto papel e papelinho, entro numa piral descendente e acabo por não entregar o IRS a tempo e horas. Tem sido assim nos últimos 23 anos, ou seja, todos os anos em que tive de o fazer.
Mas este último ano foi diferente, e apesar de ter descompensado, entreguei o IRS a tempo e horas e por isso ficamos muito satisfeitos. Tanto que para comemorar fomos comer uma caracolada. 

sexta-feira, 24 de março de 2017

A Trevolândia fica no norte da Europa

Gasto muito dinheiro em gajos. Só para o gajo mais pequeno tenho que despender uma quantia choruda todos os meses para o centro de estudos, consultas de pediatria, pediatria do desenvolvimento, roupa e ténis, porque o rapaz está sempre a crescer. Por outro lado, com isto do dia do pai ainda tive que gastar mais dinheiro com as prendas do meu pai e o pai dos meus filhos. Acresce a isto que sou louca por café, bebo de manhã, a meio da manhã, depois de almoço e ao lanche.
Assim, tenho a concluir que gasto dinheiro em gajos e em café. Pela lógica Dijsselbloemquiana não posso ser do sul da Europa, pois aí gasta-se dinheiro em gajas e álcool, logo para meu espanto vivo no norte da Europa e não sabia.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Estou saturada...

Eu trabalho numa sala em open space com mais seis pessoas. O colega que fica à minha frente é muito inteligente, espirituoso e sempre de bem com a vida. O pior é o resto, tenho colegas com várias problemáticas e que trazem os seus problemas para a sala incomodando quem quer trabalhar. Tenho um colega que passa a vida a queixar que os outros trabalham pouco, critica toda a gente mas passa o dia a coçar a barriga e a fugir do trabalho como o rabo à seringa. Tenho outra colega que tem uma depressão grave, não se trata e afoga as mágoas em álcool. Há outra colega que tem a mania da perseguição e passa a vida a implicar com as colegas. Por fim tenho um colega que já não tem solução pois quando se apresenta de manhã ao trabalho já tem o rali das tascas e das ganzas feito.
O meu trabalho é muito cerebral, requer concentração e não pode ser feito em ambiente de gente esgrouviada. Já falei com o meu chefe sobre isto mas são assuntos delicados, só que eu estou saturada e a maior parte dos dias saio do trabalho cansada e com vontade pouca vontade de pôr os pés no trabalho do dia seguinte.