sexta-feira, 21 de março de 2014

Menino do Trevo | A conquistar corações desde 2004

Hoje o meu rebento masculino aprendeu, pela primeira vez, a adaptação para guitarra desta música. Fiquei espantada com a rapidez com que ele assimilou a nova melodia. E felicitei-o por isso, ao que ele me respondeu: com um ar super seguro:
- Oh mãe, não sabes que eu nasci para a guitarra!

quinta-feira, 20 de março de 2014

É oficial, hoje entramos na Primavera


Entramos na época dos vernizes coloridos, das pulseiras, do Sol nas esplanadas, nos passeios à beira mar, das túnicas leves e dos chilrear dos pássaros. 
É também certo que entramos numa época do ano que eu fico mais sensível à doença. Mas eu não quero pensar nisso, pelo menos este ano. 

quarta-feira, 19 de março de 2014

Pais

Um tem os olhos azuis de um céu de Agosto. O outro uns olhos verdes em tons de Outono. Ambos têm as cabeças polvilhadas por brancos que o adn encarregou-se de trazer. Um escolhi. O outro tornou-se pai no momento em que nasci. Os dois tecem uma corrente que liga os filhos ao seu ser como se o ventre fosse deles. São presentes, sempre presentes. Um é o meu Pai o outro é o Pai dos meus filhos.

terça-feira, 11 de março de 2014

Lego - O filme

 

Por estes dias, eu e o pimpolho do Trevo, fomos ver este filme. Como fan dos tijolinhos da Lego o príncipe adorou o filme. A mensagem transmitida é bastante importante, todos nós podemos fazer a diferença por mais banais que sejamos.
Como sempre odiei aquela cena do 3D que me faz usar óculos por cima dos que eu uso habitualmente. Isto dos filmes 3D não havia necessidade. Foi giro e tal, pipoca para cá, pipoca para lá mas eu morri de tédio. Valeu por passar uns bons momentos com o meu rebento.


A primeira vez

Hoje foi a primeira vez que o meu filho foi sozinho à rua. Ele queria comprar umas cartas de colecção e eu achei por bem ele ir sozinho. Claro que o meu coração de mãe ficou apertadinho mas começa a ser hora do meu menino dar uns voos maiores fora do ninho, fortalece a autoconfiança e a auto-estima. Por outro lado uma pessoa fica sempre a pensar na história do Rui Pedro e dos outros meninos desaparecidos. Mas eu tenho uma "rede", a tabacaria  fica porta com porta com a minha casa, não há que atravessar ruas e o local é sempre bem vigiado. Foi a primeira vez, ele foi rápido, vinha satisfeito, nenhuma das cartas veio repetida e eu respirei de alívio.

sábado, 8 de março de 2014

Mulheres



Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes
E riem quando estão nervosas.

Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam um "não" como resposta quando
acreditam que existe melhor solução.

Elas andam sem novos sapatos para
as suas crianças poder tê-los.
Elas vão ao médico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.

Elas choram quando as suas crianças adoecem
e se alegram quando suas crianças ganham prémios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre
um aniversário ou um novo casamento.

Plabo Neruda


Descompensar #1

Primeiro começa com uma necessidade imensa de comer gomas. Depois passo a tomar mais um café de manhã. O meu estômago começa a avariar. Volto a ficar viciada em jogar Tretis ou QuadraPop. Sem motivo, começo acordar com espertina às três da manhã. O Sol começa a ferir-me a vista. Sinto-me quebrada. Descompensar é assim. E eu estou a descompensar.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Dias solares | Dias bipolares

Travis - Sing

Acções que melhoram grandemente o feng shui #2

Arrumar  os tupperwares e encontrar caixas sem tampa e tampas sem caixa. O que está desirmanado vai directamente para o ecoponto amarelo.

Acções que melhoram grandemente o feng shui #1

Arrumar a mala e encontrar 13 carteiras de lenços de papel.

Gatilhos psicóticos - As promoções e os talões de desconto

Como já expliquei neste post, o vinho, na maneira e na frequência que o tomo, não produz em mim nenhum efeito psicótico. No entanto, existem coisas triviais que produzem em mim efeitos psicóticos. Uma dessas coisas são as promoções e os talões de desconto. Quando encontro os folhetos de promoção dos supermercado fico marada. Vejo tudo o que preciso, guardo os folhetos com as promoções que me interessam devidamente assinaladas. E durante uns dias ando doida com aquilo. O mesmo acontece com os talões de desconto. Depois de comparar preços entre supermercados vou às compras. Compro aquilo que preciso mas por vezes comprou em mais quantidade e outras vezes trago coisas que não preciso. Ando assim uns dias. Fico obcecada e por vezes fico mesmo com o sono irregular.
Claro que hoje já mim consigo controlar melhor mas assim, em mim, as crises podem ser desencadeadas pelas coisas mais banais. Esta é uma das coisas.

terça-feira, 4 de março de 2014

O melhor do Carnaval


O melhor do Carnaval é ver os nossos filhos felizes com os disfarces escolhidos por eles. Este ano, andou um punk aqui pela Trevolândia. Por aqui já tivemos princesas, cowboys, índios, mortos vivos, sevilhanas, bombeiros e outros tantos que já não me lembro. Gosto tanto do Carnaval para poder mascarar os meus filhos do disfarce eleito por eles.

domingo, 2 de março de 2014

Pequenos prazeres bipolares - O comer e o beber

Até 2010 sofri, desde que me lembro, do estômago. A minha mente é verdade que andava a uma velocidade estonteante mas também é certo que o meu estômago andava a uma velocidade supersónica. Tudo o que caia nele era facilmente digerido, andava sempre com o estômago a arder e a maior parte da comida fazia-me mal. Fiz exames nos quais se verificou que as paredes do meu estômago eram "pedra" e o meu gastroenterologista não encontrava solução para este meu problema.
 
Em meados de fevereiro de 2010 a minha mente rebentou, mudei de psiquiatra, e foi me finalmente diagnosticada a doença bipolar. Comecei a fazer a medicação adequada para o meu cérebro mas o que é certo é que o meu estômago acalmou e passei a comer normalmente como as outras pessoas. Hoje acredito que o metabolismo alterado de um bipolar afeta outras partes do nosso corpo como o estômago e que os estabilizadores de humor são também bons para controlar outras partes do nosso corpo.
 
E foi assim que descobri um novo prazer: o comer. Adoro comer queijos, citrinos, outras frutas, comida alentejana e comida algarvia, leitões da Bairrada, petiscos e farturas. Pronto é uma perdição, e se antes vestia o 32 agora visto o 40/42.
 
Também descobri outro prazer: o beber. Um bom prato de comida não fica completo sem um bom vinho. E se é certo que para alguns bipolares o vinho pode desencadear uma crise maníaca, no meu caso restrinjo o acompanhamento a meio copo de um bom vinho e só em festas e em ocasiões especiais. Disfruto mais da vida e parece que recupero o tempo em que andei a penar com uma doença mal diagnosticada. Não é medicamente correto escrever isto mas é o que eu faço, tenho esse direito, ficou satisfeita e não sinto que esteja a pôr a minha saúde em perigo.
 
Ontem, por exemplo, enquanto eu passava um monte de camisas a ferro o senhor do Trevo preparou o jantar com uma entrada de petiscos: ameijoas à Bulhão Pato acompanhadas com um arinto Quinta da Murta. As ameijoas estavam excelentes e o vinho soberbo. Soube-nos tão bem...
 
 

sábado, 1 de março de 2014

Problemas bipolares - Excesso de peso

Quando estava maníaca, em Janeiro, de 2010, cheguei a pesar, por causa da crise, 42 kilos. No mês seguinte fui finalmente bem diagnosticada e comecei a fazer finalmente uma medicação correta.
Assim, no final desse mês, devido aos medicamentos e ao enorme apetite que entretanto surgiu, passei a pesar 72 kilos.
Fiquei feliz com o meu estado roliço pois significava que eu estava serena, calma e que os dias de tempestade tinham passado.
Mas o que é certo é que eu estava com excesso de peso.
Por isso, no final de 2013, resolvi ser seguida por um nutricionista. Tenho feito uma dieta simples mas com pequenos truques (p.ex: não comer fruta sozinha, não comer hidratos de carbono depois das seis da tarde). Comecei também a praticar ioga. Ainda não comecei foi a fazer caminhadas pois o tempo não tem ajudado.
Hoje fui ao médico e tenho orgulho em transmitir que já perdi 4 kilos e 100.