segunda-feira, 29 de maio de 2017

IRS bipolar

Normalmente todas as Primaveras, na altura da entrega do IRS descompenso, enervo-me com tanto papel e papelinho, entro numa piral descendente e acabo por não entregar o IRS a tempo e horas. Tem sido assim nos últimos 23 anos, ou seja, todos os anos em que tive de o fazer.
Mas este último ano foi diferente, e apesar de ter descompensado, entreguei o IRS a tempo e horas e por isso ficamos muito satisfeitos. Tanto que para comemorar fomos comer uma caracolada. 

sexta-feira, 24 de março de 2017

A Trevolândia fica no norte da Europa

Gasto muito dinheiro em gajos. Só para o gajo mais pequeno tenho que despender uma quantia choruda todos os meses para o centro de estudos, consultas de pediatria, pediatria do desenvolvimento, roupa e ténis, porque o rapaz está sempre a crescer. Por outro lado, com isto do dia do pai ainda tive que gastar mais dinheiro com as prendas do meu pai e o pai dos meus filhos. Acresce a isto que sou louca por café, bebo de manhã, a meio da manhã, depois de almoço e ao lanche.
Assim, tenho a concluir que gasto dinheiro em gajos e em café. Pela lógica Dijsselbloemquiana não posso ser do sul da Europa, pois aí gasta-se dinheiro em gajas e álcool, logo para meu espanto vivo no norte da Europa e não sabia.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Estou saturada...

Eu trabalho numa sala em open space com mais seis pessoas. O colega que fica à minha frente é muito inteligente, espirituoso e sempre de bem com a vida. O pior é o resto, tenho colegas com várias problemáticas e que trazem os seus problemas para a sala incomodando quem quer trabalhar. Tenho um colega que passa a vida a queixar que os outros trabalham pouco, critica toda a gente mas passa o dia a coçar a barriga e a fugir do trabalho como o rabo à seringa. Tenho outra colega que tem uma depressão grave, não se trata e afoga as mágoas em álcool. Há outra colega que tem a mania da perseguição e passa a vida a implicar com as colegas. Por fim tenho um colega que já não tem solução pois quando se apresenta de manhã ao trabalho já tem o rali das tascas e das ganzas feito.
O meu trabalho é muito cerebral, requer concentração e não pode ser feito em ambiente de gente esgrouviada. Já falei com o meu chefe sobre isto mas são assuntos delicados, só que eu estou saturada e a maior parte dos dias saio do trabalho cansada e com vontade pouca vontade de pôr os pés no trabalho do dia seguinte.

domingo, 12 de março de 2017

O dia das miúdas

No  passado dia 8 de Março não tive hipótese de comemorar o dia da mulher. A organização para a qual trabalho realizou um espectáculo com jazz, declamação de poesia e outras coisas mas eu tinha que entregar um projecto nesse dia e não pude ir. Assim, guardei as comemorações para o dia de ontem.
Desta forma, ontem comecei o dia com uma aula de zumba na companhia das minhas amigas P. e C.1. A E. não pôde vir porque tinha que ajudar o filho no estudo. Fizemos a aula na rua, ao solinho e foi muito bom. Depois fomos tomar um café na esplanada  de um parque aqui ao pé de casa.  E soube mesmo bem, colocámos a conversa em dia e viemos para casa todas radiantes com tanto sol.
À tarde fui lanchar com a E. que é uma pessoa super-interessante. Está sempre com ideias, planos e anda sempre a ler livros. Falámos dos nossos miúdos, do trabalho, do nosso dia a dia e das coisas que gostamos de fazer.
Mas o melhor estava para vir, a P. organizou uma saída para ir ver um filme ao final da tarde com um monte de miúdas quarentonas e cinquentonas, sem filhos, sem maridos, só nós. Assim, eu, a P., a C.1, a C.2 e a C.3 fomos ver os "Elementos Secretos".


Resultado de imagem para elementos secretos

Adorámos o filme, todas nós temos formação superior ao nível da matemática e programação, logo aquele filme diz-nos muito. Depois, apesar de já o sabermos, ficámos horrorizadas com o nível de segregação racial que existia naquela altura nos EUA. É um bom filme, vale a pena ver.
Por fim fomos jantar um sushi maravilhoso e bem fresquinho.
E pronto, é isto não tive dia da mulher mas tive um dia das miúdas.


sexta-feira, 10 de março de 2017

Ultrapassado

Entrei em hipomania no princípio do mês de Fevereiro. Nessa mesma altura o meu carro deu o berro e tive de trocar de carro e habituar-me este "novo" carro. Neste período de tempo andei em reuniões e consultas por causa dos problemas de aprendizagem do Pimpolho. Isto tudo coincidiu com uma fase em que tive muito, muito trabalho.
Ontem entreguei o projecto que me deu água pela barba. Ontem, também, foi iniciado a nova reavaliação do Príncipe por forma a ser entregue na escola para ele ser enquadrado no Decreto-Lei 3/2008. Já me habituei ao carro "novo" e também me encontro melhor. Fiz tudo isto doente, não fiz com o apego que faço quando não estou doente mas o que é certo é que fiz e estou pronta para fazer mais projectos.
Ontem os pimpolhos estavam doentes, não deu para irmos jantar fora para comemorar, mas depois de toda a lida da casa ser feita eu e o Senhor do Trevo saímos para ir tomar uma imperial e uma sumersby. E pronto é isto, mais um desafio bipolar ultrapassado.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Permissas bipolares

Sempre fui bipolar. Desde criança de terra idade me lembro que era diferente. Tive muitas, muitas crises de hipomania. Mas entre 1996 a 2011 tive várias crises psicóticas que me levaram a pelo menos uns cinco internamentos. No entanto, sempre tive força de vontade na minha recuperação. Assim, em 2011, ao abrir um moleskiane escrevi:

Sou boa mãe
Sou boa dona de casa
Sou boa profissional
Sou boa filha
Sou boa esposa 
Sou boa irmã
Sou boa amiga

E não é que hoje, passado quase 6 anos, consegui melhorar todos estes aspectos da minha vida ao ponto de comunicar:

Sou doente crónica,
Às vezes é difícil,
Mas sou feliz..

Ponto de situação bipolar

Desde o dia 7 de Fevereiro que só dormi esta noite completa. Tenho um projecto para entregar com dead line apertadíssimo. O meu carro pifou e tive de trocar de automóvel. Mas não consigo adaptar-me a este porque o outro era a gasóleo e este é a gasolina e, além disso estou muito cansada para adaptações. Preciso de dormir mas não consigo pregar olho.
Entretanto, tenho feito "karma ioga" livrando-me de algumas tralhas cá de casa.
Vamos ver se isto resulta...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Não atiro a toalha ao chão

Por mais hipomaníaca que esteja, continuo a lutar. Trato de assuntos importantes: vou trabalhar, vou às festas dos meus amigos, vou à praia e faço as minhas tarefas domésticas. Às veses faço menos bem mas faço. Ajusto a medicação como foi recomendada pelo médico e não resulta. Ajusto de novo e não resulta. Ajusto mais uma vez conforme foi prescrito nas urgências e continua a não resultar. Vou à minha médica e ela mantêm as doses de olanzapina, ácido valpróico e lítio mas substitui o morfex pelo o stilnox. Resulta e eu recupero sem nunca ter deitado a toalha ao chão.

Musica do Trevo #91



The XX - On Hold

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Gato tecnológico

O Gato do Trevo tem uma predilação especial para estrafegar os ratos dos computadores. Acho que a natureza explica isso e actualizou-se...

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Silêncio e outras coisas



Durante o século XVI a presença portuguesa no Japão foi muito forte. Não é à toa que há muitas palavras japonesas de origem portuguesa, assim como pratos de cozinha japonesa. Também a nível da envagelização houve muitas conversões de japoneses ao cristianismo, tornado esta religião a segunda do país.
No entanto as coisas modificaram-se com a entrada do século XVII e a mudança de políticas no Japão. Os portugueses deixaram de poder fazer comércio com o japão e os cristãos e padres, na sua maioria jesuítas, começaram a ser perseguidos. Este filme é sobre esta parte da história.
É filme muito bonito no aspecto em que as paisagens são bonitas, o guarda-roupa está muito bem concebido e os cenários são espectaculares.
Depois trata-se de um filme sobre fé, sobre o confilto de duas religões, de duas culturas. E isso tem tudo a ver comigo, pois ao contrário do filme, para mim o catolicismo e o budismo são duas religões que se complementam e ajudam-me a ultrapassar a provação que é a doença bipolar.


O Facebook e os seus perigos

Há muita gente que expõe toda vida no facebook. Existem pessoas que põem demsiadas fotografias dos seus filhhos bebés. Há pessoas que indicam quando estão a viajar e na sua casa não há gente, etc
Ora aqui na Trevolândia temos outro problema. Temos avós que são amigas no fb dos seus netos que acabaram de entrar na adolescência e põem posts demasiado picantes sobre sexo. Pois...

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Problemas bipolares

Faz hoje uma semana que estou a descompensar. Como tenho autorização da médica ajustei a medicação. Tirei o antidepressivo, aumentei a olanzapina de 2,5 mg para 20 mg e introduzi o morfex. Mas acontece que não tem feito efeito. Isto não me calha bem pois estou cheia de trabalho no emprego. Bem, vamos ver.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

A envelhecer

Ontem o meu bebé fez pela primeira vez o bigode entrando assim definitivamente na adolescência  e fazendo de nós, os pais, pessoas cada vez mais velhas.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Não lembra a ninguém

Ontem ao jantar, numa das noites mais frias do ano, o Sr. do Trevo achou que era boa ideia acabarmos de comer os restos de gelados que existem em várias caixas que atravancam a nossa arca congeladora. Claro que só foi ele a comer.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Desorganizada

Comecei o ano novo desorganizada e um bocado deprimida. Os meus pais estão doentes e estão a 300 km de distância. Fui vê-los na passagem do ano mais isso não acalmou a minha preocupação. Gostava de fazer um balanço de 2016 que foi um ano muito bom pois passeamos bastante e tive poucas crises mas estou sem acção nenhuma para nada. Assim, só espero que 2017 traga saúde para mim e para a minha família, que haja a hipótese de viajarmos mais bocadinho, que possamos desfrutar da companhia da nossa família e dos nossos amigos, que haja trabalho e que os pimpolhos tenham bons resultados na escola.