quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Eu bipolar me confesso

Ontem fui me confessar. Havia mais de 22 anos que não o fazia. Estava apreensiva, muito por causa dos pecados que tinha praticado quando estive psicótica e em hipomania. Estes pecados foram graves, tanto à luz da Igreja como da sociedade em geral. Estava cheio de receio mas determinada principalmente porque a minha última crise me fez reaproximar de Deus e da Fé e só faltava a confissão para estar bem comigo mesma. E lá fui, o Padre foi superatencioso, compreendeu os meus problemas, disse-me três vezes para eu ter cuidado com a medicação e não a deixar de a tomar, pordoou os meus pecados e como penitência mandou-me ler uma passagem da Bíblia e meditar sobre ela. Por fim mandou dizer o Ato de Contrição que eu não sabia de todo mas ele ajudou-me a dizer. Foi fixe, vim mais aliviada e confiante com a segurança que a minha Igreja tem espaço para pessoas como eu e as compreende. 
Mas fiquei a pensar, se hoje em dia a Igreja Católica não tem problemas em aceitar doentes mentais o que falta à nossa sociedade para o fazer? Porque razão ainda somos vistos como uns tolinhos e não como pessoas que tem um problema de saúde crónico?

1 comentário:

  1. Acho que é porque as pessoas temem o que desconhecem, infelizmente!

    ResponderEliminar