quinta-feira, 16 de julho de 2015

Obesidade e a doença bipolar

Um dos efeitos secundários da medicação para a doença bipolar (estabilizadores de humor e antipsicóticos) é o aumento de peso. E eu, cumpridora da medicação e com miúfa de uma recaída, não sou excepção. Assim, desde 2010, altura em comecei a ser devidamente medicada, aumentei cerca de 32 kg. A princípio foi bom pois a crise maníaca desse ano deixou-me em pele e osso mas depois foi tomando proporções graves ao ponto de deixar de conseguir apertar as sandálias. Neste momento estou quase a atingir a Obesidade de Grau I e com isso sujeita a todos os riscos que este estado acarreta como sejam as doenças cardíacas, diabetes, etc. para além de não estar tão gira.

 
Venus von Willendorf 01.jpg
Vénus of Willendorf
 
Posto isto, comecei a ser acompanhada por um nutricionista, passei a fazer um novo regime alimentar e caminhadas todos os dias. Passo uma fome dos diabos mas o que é certo é que já consigo apertar as sandálias com facilidade. A diferença de peso, as medidas da anca e da cintura e outros dados só vou saber no fim do mês quando for a uma nova consulta mas por agora isto parece estar bem encaminhado. Vamos ver se eu consigo voltar ao peso ideal.

1 comentário:

  1. Percebo aumento de peso utilizando o depakote. Isso é bem desanimador.

    ResponderEliminar