quarta-feira, 29 de julho de 2015

Festival ao Largo

Depois do excelente concerto da Orquestra Sinfónica Portuguesa dirigida pela maestrina Joana Carneiro, da estreia mundial do 1º acto da Ópera O Deus Vulcão fomos, no último dia assistir à homenagem da Companhia Nacional de Bailado ao  Ballet Gulbenkian. Fomos cedo, tipo seis horas (o espectáculo começava às 10 da noite), levamos merenda, arranjamos bons lugares e fizemos uma espécie de picnic ali mesmo no Largo do São Carlos.
Quando chegamos ao largo do São Carlos ainda estava bem de dia.

O primeiro bailado de Olga Roriz, intitulado "Treze gestos de um corpo", que curiosamente eu e o Sr. do Trevo já tínhamos visto à duas décadas, precisamente interpretado pelo Ballet Gulbenkian. Soube mesmo bem recordar.

O segundo bailado, "Será que é uma estrela" de Vasco Wellenkamp, cantado ao vivo por Maria João. Uma preciosidade.

Por fim foi apresentado o bailado Minus 16 que foi completamente surpreendente.


1 comentário:

  1. Nossa parece uma história de filme, de tão linda e tão culta, espero um dia quando eu me formar poder viajar o mundo conhecendo belas culturas e belas artes, mas, se eu não conseguir continuarei aqui vendo histórias como as suas e ficarei feliz #)

    ResponderEliminar