terça-feira, 27 de maio de 2014

As eleições europeias vistas pela perspectiva da Trevolândia

No domingo passado também por aqui houve eleições. Também por aqui ficámos preocupados com a elevada taxa de abstenção e com a subida da votação na extrema direita um pouco por toda a Europa.

Quanto à elevada taxa de abstenção penso que existe pouco debate sobre o assunto ao nível geral da população. Deveria existir formação sobre esse e outros deveres logo ao nível do ensino secundário. Sem isso ou se nasce numa família que tenha por hábito discutir política e eleições ou se passa completamente ao lado e ainda se vai gabar no FB que passou o dia na praia e se esteve borrifando para as eleições.
Por aqui houve votos por todos os quadrantes políticos, houve discussões, houve crianças que acompanharam os pais na altura do voto, todos acompanhamos a noite das eleições, o pimpolho não percebeu bem do que se tratava mas compreendeu que era importante. Assim se forma um futuro eleitor.

Em relação ao crescente aumento da importância da extrema direita penso que é uma questão que deve ser bem analisada. Em França, ao que sei, há pessoas que são bastante beneficiadas pelo estado e não trabalham por motivos vários. Os motivos podem ser válidos mas existem pessoas que trabalham, contribuem para o estado e se sentem defraudadas. Eu não estou contra os apoios sociais não é isso. Só que a diferença é ficar indefinidamente a viver de apoios e outra é precisar de apoios para endireitar a vida. Depois há a questão da excessiva imigração. Eu não sou racista, não é isso, mas não é difícil de compreender que não é possível a qualquer país absorver todas as pessoas que chegam até ele. Eu não estou a desculpar a extrema direita. Estou a tentar perceber. Porque só percebendo é que se pode tomar medidas contra este tipo de doutrinas.. 

Sem comentários:

Enviar um comentário